O guia da terra sem fim (nem começo)


Sentado à beira da cratera de areia, André Schoeman bebe seu chá em silêncio. Semblante tranquilo, olhar fixo na imensidão branca. Ele repara, admira e encontra beleza numa paisagem que vê com certa frequência. Um momento incrível de sabedoria e solidão, que bem traduz o espírito da viagem daqui para frente.

André é o homem que vai nos mostrar a Namíbia do céu. Guiar por paisagens alucinantes de uma África infinita e selvagem, aonde somente um bimotor é capaz de chegar. Proporcionar instantes simples e emocionantes, como um pôr do sol alaranjado ou uma noite estrelada num camping.

Ele nos espera em Sossusvlei. Já boquiabertos com a experiência no cartão-postal do país, embarcamos numa expedição de cerca de 800 quilômetros pela Skeleton Coast, que se estende até a fronteira com Angola. Serão quatro dias de intensas descobertas.

Do alto, a Namíbia se revela em sua plenitude. Ou quase, já que os cenários parecem não ter começo nem fim. A natureza permanece intacta, como se o universo ainda estivesse em formação. Animais andam livremente no deserto, na savana, nas montanhas de pedra. O mar tem tubarões. Nas areias, milhares de focas, flamingos, carcaças de navios naufragados e vestígios de tribos nômades.

A cada parada, uma surpresa para sacudir almas aventureiras. Passeios de off-road pelas dunas, de lancha pelos rios, trilha histórica e visita a uma aldeia do povo Himba, pintado de cores incríveis. Sempre com intervalos para lanches. Oportunidades para sentar e, como André, admirar cada cenário.

Ele pilota o avião, o jipe e o barco com disposição invejável. É o último a dormir e o primeiro a acordar porque faz questão de despertar os turistas em suas barracas, com uma bandeja de café quentinho ou chá.

Por trás dos olhos azuis, André guarda a herança alemã da família que chegou à África em 1700. Ele mantém ao lado dos três irmãos a empresa de safári aéreo inaugurada pelo pai nos anos 1970, a Skeleton Coast Safaris. Com quatro aviõezinhos, quatro acampamentos e algumas Land Rovers, protagoniza momentos ímpares. 

Sua voz doce – e a paz interior característica de quem vive nesse mundo remoto – nos acompanham até o Parque Nacional Etosha, o local da despedida. Antes de voltar à terra, acompanhe nos próximos posts cada trecho dessa inesquecível jornada aérea.

Sobre Camila Anauate

De alma inquieta e mente aberta, que me fizeram jornalista, viajante, aventureira, sonhadora sem-fim
Esse post foi publicado em Namíbia e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s