Jerash para surpreender

Este slideshow necessita de JavaScript.

Depois de se impressionar com os vestígios históricos de Amã, você pensa que nada mais pode surpreender na Jordânia. Espere, então, até conhecer Jerash, uma das maiores e mais bem preservadas cidades romanas do mundo fora da Itália. A viagem no tempo só dura uma tarde – Jerash está a apenas 48 quilômetros da capital, mas revela tantos detalhes da vida social e urbana do Império Romano que ficará marcada para sempre na memória.

As ruínas da cidade preferida do imperador Adriano foram descobertas na década de 1920. Todo material encontrado nas escavações explica que Jerash foi uma cidade-Estado grega do Período Helenístico (século 3º a.C.), floresceu social e economicamente a partir do ano 30 a.C. e atingiu outro apogeu durante o reinado de Justiniano (527-565 d.C.).

A cidade sempre foi valorizada por imperadores graças à localização estratégica, na rota comercial de incensos e especiarias entre a Península Arábica e o Mediterrâneo.

O legado dessa história transformou Jerash num belo exemplar da arquitetura romana, com ruas pavimentadas, grandes templos, anfiteatros para milhares de pessoas, praças públicas, fontes, muralhas com altas torres e portões até hoje imponentes. O turista logo vai perceber tal grandiosidade. Um imenso arco, construído para homenagear o imperador Adriano, que esteve em Jerash no ano 129 d.C., abre as portas da cidadela.

A próxima parada é no Hipódromo, onde eram realizadas as famosas corridas de bigas e disputas entre gladiadores. Os visitantes sentam na arquibancada. A trombeta soa alto, e gladiadores invadem a arena para lutar até a morte.

São 45 atores vestidos a caráter que representam todos os costumes da época. No fim do show, é a platéia quem decide o destino dos perdedores (vida ou morte), levantando ou abaixando o polegar direito.

A apresentação parece fake diante daquele cenário tão real. Siga em frente até a Praça Oval, a característica mais marcante de Jerash. Construída sobre um complexo sistema de drenagem em formato assimétrico – 80 por 90 metro s -, a praça é cercada por 160 colunas jônicas do século 1º.

O Templo de Zeus e o impressionante Teatro Sul, que ficam à esquerda da Praça Oval, contam sobre a vida social dos romanos. O teatro, aliás, com capacidade para 3 mil espectadores, hoje abriga o Festival de Jerash. O evento ocorre todos os anos, sempre em julho, com apresentações de danças folclóricas, balé e ópera.

Termine o passeio pelo Cardo, a rua pavimentada de 600 metros de extensão, na qual estavam instaladas as principais construções da cidade, os espaços públicos e as residências.

Sobre Camila Anauate

De alma inquieta e mente aberta, que me fizeram jornalista, viajante, aventureira, sonhadora sem-fim
Esse post foi publicado em Jordânia e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s